fbpx
ITI News: avaliação sobre tecnologias digitais

ITI News: avaliação sobre tecnologias digitais

Compartilhar

Em evento do ITI na Holanda, grupos avaliaram o conhecimento atual na área de tecnologias digitais.

Em abril de 2018 ocorreu a 6ª Conferência de Consenso do International Team for Implantology (ITI), em Amsterdã (Holanda). Os 153 participantes foram divididos em cinco grupos e um deles analisou a literatura sobre as tecnologias digitais, sendo liderado por Daniel Wismeijer e Tim Joda.

Os objetivos desse grupo foram: avaliar o conhecimento atual na área de tecnologias digitais, focando em questões como acurácia de medidas lineares utilizando tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT); planejamento de implantes de maneira convencional versus digital; utilização de moldagens convencionais e digitais; acurácia das cirurgias guiadas; e percepção do paciente com relação à cirurgia guiada.

A revisão da literatura realizada pelo grupo incluiu 232 artigos, que foram selecionados e criteriosamente revisados. Foram produzidas quatro revisões sistemáticas por este grupo e abaixo veremos as conclusões e recomendações de cada uma.

Static computer‐aided implant surgery (s‐CAIS) analysing patient‐reported outcome measures (PROMs), economics and complications: a systematic review

Tim Joda, Wiebe Derksen, Julia Gabriela Witt neben, Sebastian Kuehl

O objetivo foi avaliar a literatura disponível sobre a percepção dos pacientes (PROMs) nas cirurgias guiadas. O foco foi estudos clínicos que investigaram dor e desconforto, complicações transoperatórias e fatores econômicos. No total, 14 estudos foram incluídos na revisão, que compreendeu 484 pacientes tratados com cirurgia guiada para a colocação de 2.510 implantes. A conclusão dessa revisão não permite afirmar que a cirurgia guiada é vantajosa em relação à cirurgia convencional em termos de dor e desconforto, fatores econômicos e complicações cirúrgicas.

As recomendações clínicas apresentadas incluem a ausência de contraindicação para o uso de cirurgia guiada em relação à percepção do paciente e um suposto benefício em pacientes edêntulos totais em termos de intensidade de dor pós-operatória. Cirurgias sem retalho necessitam de boa avaliação da qualidade e quantidade de mucosa queratinizada, para evitar que implantes fiquem posicionados em região sem mucosa queratinizada.

 

The accuracy of diff erent dental impression techniques for implant‐supported dental prostheses: a systematic review and meta‐analysis

Tabea Flügge, Wicher Joerd van der Meer, Beatriz Gimenez Gonzalez, Kirstin Vach, Daniel Wismeijer, Ping Wang

Esta revisão sistemática avaliou as evidências científicas publicadas a respeito da acurácia dos scanners intraorais comparada com o escaneamento de modelos obtidos com moldagens convencionais. Foram encontrados somente um estudo clínico randomizado e dois estudos clínicos, consequentemente existem limitadas evidências clínicas a respeito deste assunto. Os statements desse grupo são: 1. A acurácia das impressões digitais com scanners intraorais em implantes unitários e múltiplos é comparável com a acurácia de impressões convencionais em condições laboratoriais; 2. A acurácia das impressões digitais é negativamente influenciada pelo aumento de espaço entre implantes múltiplos; 3. O protocolo de escaneamento tem uma significante influência na acurácia das impressões digitais em edêntulos totais; 4. A acurácia das impressões digitais em pacientes edêntulos totais varia com a utilização de diferentes scanners intraorais.

As recomendações clínicas incluem a indicação dos scanners intraorais para unitários, seguindo o protocolo de cada fabricante e utilizando os scanbodies específicos para cada implante. As impressões digitais intraorais de pacientes edêntulos e de largos espaços entre os implantes ainda não podem ser recomendadas.

 

Accuracy of linear measurements on CBCT images related to presurgical implant treatment planning: a systematic review

George Fokas, Vida M. Vaughn, William C. Scarfe, Michael M. Bornstein

Os objetivos dessa revisão foram avaliar a acurácia das medidas lineares de osso alveolar quando utilizadas imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT) na Implantodontia e verificar a reprodutibilidade das medidas lineares entre diferentes operadores e com o mesmo operador. Dos 22 estudos incluídos na revisão, dois eram clínicos e 20 eram investigações ex vivo. Os statements desse grupo incluem: 1. CBCT proporciona imagens com alta acurácia e confiabilidade; 2. As medidas lineares em CBCT podem ser sobre ou subestimadas e a margem de erro pode exceder 1 mm em alguns casos; 3. Menores tamanhos de voxel, que resultam em maior definição, não levam à maior acurácia; 4. Acurácia independe do software e do FOV utilizados.

As recomendações clínicas se referem à CBCT como o exame de imagem de escolha para planejamento de implantes, e uma margem de segurança de 2 mm de estruturas anatômicas deve ser respeitada. Pequenos FOVs e um tamanho de voxel de 0,3-0,4 mm devem ser utilizados por oferecerem acurácia das medidas e reduzirem a radiação para o paciente.

The accuracy of static computer‐aided implant surgery: a systematic review and meta‐analysis

Ali Tahmaseb, Vivian Wu, Daniel Wismeijer, Wim Coucke, Christopher Evans

O objetivo primário desse estudo foi avaliar a literatura a respeito da acurácia da cirurgia guiada estática e verificar o efeito na acurácia de fatores como suporte do guia, arcada operada e grau de edentulismo. A média de desvio 3D encontrada na entrada do implante foi de 1,2 mm, no ápice foi de 1,5 mm e desvio angular de 3,5 graus. Na cirurgia guiada pode ocorrer uma discrepância vertical entre a posição planejada e a posição obtida, na região apical do implante de -0,25 a -0,57 mm e na região cervical de -0,08 mm a 1,13 mm. Os casos de edêntulos parciais demonstram melhor acurácia utilizando a cirurgia guiada quando comparados aos casos de edentulismo total.

As recomendações clínicas desse grupo relatam que a cirurgia guiada deve ser considerada uma ferramenta adicional para diagnóstico, planejamento e procedimentos cirúrgicos. A cirurgia guiada deve ser proteticamente orientada e, além da experiência cirúrgica, o adequado treinamento é essencial para alcançar acurácia e resultados favoráveis. O alinhamento dos arquivos da tomografia com os arquivos dos escaneamentos melhorou a acurácia da cirurgia guiada, sendo que os guias cirúrgicos devem ser desenhados sobre os escaneamentos. Ainda hoje, recomenda-se uma margem de segurança de 2 mm de estruturas anatômicas.

Fechar Menu