fbpx
Nova macrogeometria do implante Maestro visando acelerar e aumentar a osseointegração: uma análise experimental in vivo

Nova macrogeometria do implante Maestro visando acelerar e aumentar a osseointegração: uma análise experimental in vivo

Compartilhar

Estudo avalia in vivo o potencial de osseointegração precoce de um implante convencional e o novo implante Maestro.


AUTORES

Sérgio Alexandre Gehrke
Professor Catedrático de Biotecnologia; Diretor – Centro de Pesquisa Biotecnos; Professor Catedrático – Universidade Católica Santo Antônio de Múrcia (Ucam/Espanha).
Orcid: 0000-0002-5863-9101.

Jaime Sardá Aramburú Júnior
Pesquisador – Centro de Pesquisa Biotecnos.
Orcid: 0000-0002-0519-0099.

Berenice Anina Dedavid
Professora do Depto. de Engenharia de Materiais – PUCRS.

Tiago Luis Eirles Treichel
Professor de Cirurgia Veterinária – Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde.
Orcid: 0000-0002-6305-1257.

Piedad N. de Aza
Professora de Bioengenharia – Instituto de Bioengenheira, Universidade Miguel Hernández.
Orcid: 0000-0001- 9316-4407..

Leticia Pérez-Díaz
Pesquisadora do Laboratório de Interação Molecular – Faculdade de Ciências, Universidade da República (Montevidéu).
Orcid: 0000-0002-5084-7619.


RESUMO

A morfologia dos implantes dentais (micro e macrogeometria) é um fator que influencia diretamente o processo de osseointegração. Objetivo: avaliar in vivo (biomecanicamente) o potencial de osseointegração precoce de dois modelos comerciais de implantes: implante convencional (grupo GCon) e o novo implante Maestro (grupo GTes). Material e métodos: foram feitas avaliações in vivo, utilizando seis coelhos nos quais foram instalados 24 implantes (n=12 por grupo), dos quais foram retirados 21 e 30 dias após as implantações em ambas as tíbias. Para todos os implantes, foram medidos os valores de estabilidade inicial por análise de frequência magnética (ISQ) no dia da instalação e no dia do sacrifício dos animais. Além disso, foi medido o torque de remoção desses implantes e todos foram avaliados por microscopia eletrônica de varredura para avaliar o osso residual presente na superfície. Resultados: não houve diferença entre os valores obtidos de ISQ (p > 0,05), enquanto no torque de remoção as amostras do grupo-teste apresentaram valores significativamente superiores em ambos os tempos (p < 0,001), em comparação com o grupo Con. Conclusão: os implantes do grupo-teste apresentaram maior quantidade de osso aderido à superfície dos implantes após a remoção.

Palavras-chave – Câmaras de cicatrização; Compressão óssea; Implante dental; Macrogeometria; Osseointegração.


ABSTRACT

Objective: to evaluate in vivo (biomechanically) the potential for early osseointegration of 2 commercial implant models, conventional (Con Group) and the new Maestro implant (Test Group). Material and methods: for this, in vivo evaluations were performed using 6 rabbits in which 24 implants were installed (n=12 per group), which were removed at 21 and 30 days after implantation in both tibias. For all implants the initial stability values were measured by magnetic frequency analysis (ISQ) on the day of installation and on the day of sacrifice. Then, the removal torque of these implants was measured and, afterwards, all were evaluated by scanning electron microscopy to evaluate the residual bone present on the surface. Results: no difference was seen between the obtained ISQ values (p> 0.05), while in the removal torque, the samples from the Test group presented signifi cantly higher values at both times (p <0.001), compared to the Con group. Conclusion: still, the implants of the Test group presented greater amount of bone adhered to the implant surface after removal.

Key words – Healing chambers; Bone compression; Dental implant; Macrogeometry; Osseointegration.


Recebido em dez/2019
Aprovado em dez/2019

Fechar Menu